Home » 3 exemplos de empresas que perderam a oportunidade de inovar
Insights

Em 10 de maio de 2022 por Edes Costa

3 exemplos de empresas que perderam a oportunidade de inovar

Muitas empresas de sucesso se apegam aos seus produtos e serviços acreditando que seu sucesso será permanente. Produtos e serviços, mesmo com evoluções incrementais, não representam o segredo do sucesso de uma organização.

A concorrência e um mercado dinâmico diminuem cada vez mais o ciclo de vida de produtos. Em um período de mudanças rápidas, a melhor maneira pela qual uma empresa pode prosperar é inovar.

Dessa forma, a prosperidade de uma organização está relacionada a busca constante de oportunidades de inovação e geração de produtos e serviços inovadores. Empresas que não possuem essas capacidades correm alto risco de fracasso.

Esse post aborda 3 exemplos icônicos de corporações que perderam a oportunidade de inovar.

1. Kodak

Provavelmente um dos exemplos mais notórios de empresas que falharam em inovar, a Kodak dominou o mercado de filmes fotográficos durante parte do século 20.

A oportunidade perdida

Em 1975, Steve Sasson, um engenheiro da Kodak, inventou a primeira câmera digital. Patenteado em 1978, o protótipo da câmera fotográfica eletrônica gerava fotografias sem filme.

A Kodak, líder no mercado de filmes fotográficos, não ficou interessada no produto. A empresa decidiu não comercializar a câmera. A suposição, na época, era de que as vendas da câmera poderiam corroer as vendas de filmes fotográficos. A ideia foi então implementada em larga escala pela empresa japonesa Fujifilm.

A posição da empresa se mostrou errada e a Kodak entrou com pedido de falência em 2012.

2. BlackBerry

A BlackBerry iniciou suas atividades em 1984 com o nome Research In Motion (RIM). Em 2000, a empresa mudou o jogo na indústria móvel ao lançar sua primeira linha smartphones.

A oportunidade perdida

Embora o BlackBerry tenha se tornado uma marca de smartphone de sucesso graças ao seu foco funcionalidades para o ambiente de trabalho e segurança de alto nível, a empresa não estava atenta a experiência do usuário e as mudanças na indústria móvel.

Por volta do ano 2008, a indústria móvel começou a se concentrar em telas sensíveis ao toque. Nessa época, a Apple Inc. anunciou o lançamento do primeiro iPhone. Enquanto isso, a BlackBerry estava mais preocupada em proteger o que já possuía e realizar inovações incrementais em seu smartphone. Em poucos anos, os usuários de BlackBerry migraram em massa para iPhones e outros smartphones.

Em 2017, a BlackBerry anunciou que estava fora do negócio de fabricação de smartphones.

3. Sony

A Sony mudou a forma como ouvimos música com a invenção do Walkman em 1979. Em 30 anos, 400 milhões de dispositivos Walkman foram vendidos.

A oportunidade perdida

Como muitas outras inovações, o Walkman enfrentou uma resposta da concorrência, principalmente na forma de imitação.

Com o advento do CD como substituto da fita cassete, a Sony lançou com sucesso a versão em CD do Walkman. Contudo, o surgimento do formato de música digital MP3 criou uma descontinuidade no mercado de tocadores de música. Ao contrário do passado, a Sony começou a mostrar sinais de fracasso em aproveitar essa nova tecnologia e sustentar o Walkman.

Quando os MP3 players foram introduzidos no mercado, as vendas do Walkman começaram a cair e o icônico produto foi descontinuado pelos MP3 players, que depois foram descontinuados pelos smartphones.

Ajudamos organizações no desenvolvimento de capacidades de agilidade e inovação. Conheça nosso serviço de desenvolvimento de Cultura de Inovação.


Edes Costa é sócio da EDG Tecnologia & Inovação e lidera as práticas de agilidade e inovação da empresa.